Diego Brito
 

Diego Brito

Empreendedor, publicitário, palestrante e professor. Há 17 anos no mercado, fundador de diversas agências de marketing digital e propaganda, atualmente CEO na General Marketing.

Quer me convidar para palestrar em seu evento? Me mande uma mensagem.

Diego Brito

Empreendedor, publicitário, palestrante e professor. Há 17 anos no mercado, fundador de diversas agências de marketing digital e propaganda, atualmente CEO na General Marketing.

Facebook Twitter LinkedIn Google+  

O Mito da Caverna Alegoria de Platão e Como sair da Matrix

211
mito da caverna platão saia da matrix

Saia da caverna e jamais olhe para trás! É bem provável que, toda a vez que você alcançar um nível de conhecimento, de maturidade, de esclarecimento, você queira olhar para as pessoas que estão atrás de você e lhes dizer que, lá fora, existe algo melhor, bem diferente daquilo que elas acham que é vida. E, certamente, as pessoas vão dizer para você que você é louco e que isso não passa de um sonho.

Isso é o famoso “Mito da Caverna”, de Platão, que conta a história de um homem que resolveu sair da caverna, onde ele vivia com outros seres humanos. Para ele, aquela realidade e aquele cotidiano que vivia não parecia ser o mundo, muito menos aquilo que ele queria para a sua vida. Então, decidiu sair da caverna.

Porém, sair da caverna foi muito difícil, porque dentro dela todos os seres humanos estavam presos pelo pescoço e amarrados e só conseguiam ver o fundo da caverna. E, nesse fundo, eram feitas projeções para que essas pessoas presas pelo pescoço acreditassem que aquilo era o mundo. No entanto, aquele mais revoltado se soltou das correntes e saiu da caverna e, a partir daí, pôde ver o mundo, o mar, o céu, as árvores, a vida.

Ao ver tudo isso, pensou em voltar para a caverna para contar para todos o que existia fora dela. Quando lá chegou e contou o que havia visto, as pessoas lhe disseram que ele era louco e que deveria fugir, caso contrário iriam o matar.

O Mito da Caverna de Platão é uma alegoria que nos ajuda a refletir sobre o esforço quando perdemos, o tempo que dedicamos, para contar às pessoas como é quando empreendemos ou aprendemos uma habilidade nova. Afinal, é muito comum, quando você conta a alguém que aprendeu uma habilidade nova, ela dar risada de você. E, aí, o que você faz? Você perde o seu tempo tentando convencer essa pessoa ou segue em frente para desbravar esse bravo mundo novo?

A minha dica é: vá desbravar esse bravo mundo novo e não perca o seu tempo. Porque cada uma das pessoas que estão dentro da caverna tem o seu timing.

Um filme que ilustra bem essa bem essa teoria é Matrix, principalmente quando o personagem New sai da Matrix e vai para Zion, o mundo real. Portanto, se você saiu da caverna e aprendeu uma nova habilidade, não gaste a sua energia convencendo as outras pessoas. Vá embora, desbrave esse mundo novo, se conecte com as pessoas que estão lá fora e conheça essa nova realidade. Porque o esclarecimento, a iluminação e o conhecimento não são para todos.

Afinal de contas, conhecimento dói, aprender dói, mas é só para aqueles que estão dispostos a passar por essa transformação, chegar a um novo patamar, evoluir a própria mente. Porque o que temos de mais precioso está dentro da nossa cabeça. E toda a vez que você evolui o seu conhecimento, você se torna uma pessoa mais capaz, capacidade essa que, com certeza, faz você chegar mais próximo do seu resultado e daquilo que você quer trazer, seja para sua vida, seja para sua empresa ou seu negócio.

Gostou do artigo? Então confira esse vídeo sobre o assunto:

Se inscreva no Canal do YouTube: bit.ly/DiegoBritoBR

Diego Brito

Empreendedor, publicitário, palestrante e professor. Há 17 anos no mercado, fundador de diversas agências de marketing digital e propaganda, atualmente CEO na General Marketing.

Facebook Twitter LinkedIn Google+