Empreendedor, publicitário, palestrante e professor. Há 17 anos no mercado, fundador de diversas agências de marketing digital e propaganda, atualmente CEO na General Marketing.

A Sociedade de Consumo e o Lixo Tecnológico

8819
Montanha de lixo eletrônico

De onde vem os bebês? Perguntinha ingênua feita por qualquer criança.

Para onde vai o nosso lixo eletrônico? De onde vem a necessidade de produzir o e-lixo? Perguntinha que não quer calar e serve para todos nós Geeks, Publicitários, Marketeiros, Descolados, Cinéfilos & Cia . 

Gente, vamos comprar agora! A Apple lançou o Iphone 3G. Você já tem um aparelho Blue-Ray? Você já jogou Rock Band do Nintendo Wii? O seu Ipod tem 1 terabyte e acende no escuro?  Vamos Comprar Agora!!!!!

Somos eternas crianças: o meu celular é MENOR que o seu!

Todos os dias são lançados novos equipamentos eletrônicos, são eles desde  modelos novos de televisores ou gadgets do dia-a-dia, celulares, players, etc. Uma verdade precisa ser dita, não é possível que a tecnologia avança tão rapidamente. A amarga e cega realidade é que somos “doutrinados” pela sociedade de consumo e suas estratégia de marketing da obsolescência planejada. No mundo capitalista em que vivemos as pessoas já nascem infectadas com o “vírus da moda”. Nossa, eu adoro a moda, não quero critica-la enquanto expressão e arte. O problema não é a moda, mas sim, o modismo viral, que embora ainda não constatado é uma patologia de toda criança. Mãe, fulano tem um carrinho maior que o meu, compra mãe, compra! Ouvi uma frase na semana passada de um cliente que é do segmento de Modelismo da qual gostaria de compartilhar: “A diferença do adulto e da criança é que conforme crescem os brinquedos vão ficando mais caros” – quando ouvi isso, parei, respirei e pensei, esse cara tem toda a razão. Somos “crianças grandes” e a moda é o nosso quintal, adoramos os modismos, nos banhamos nele como se fosse nos oferecer uma vida eterna na “terra do nunca“.

A que preço?

Diversas ONG’s se empenham, políticos como o ex vice presidente americano Al Gore, anônimos em todo o planeta dia após dia lutam contra os males causados pela falta de consciência ecológica. São evangelizadores de gaia na luta contra os crimes contra o Planeta.

Esses dias atras fui a farmácia e quando estava no caixa percebi que havia um reservatório para depósito de pilhas usadas. Achei a idéia genial e curioso como sou fui dar uma bisbilhotada para ver quantas pilhas tinham – absolutamente nenhuma! Esse tipo de campanha é totalmente #fail me parece que é apenas para a marca dizer, fazemos nossa parte, somos responsáveis.

Vocês sabiam que empresas como a Microsoft e Nintendo estão entre as mais irresponsáveis pois extrapolam no uso de substâncias tóxicas e não possuem iniciativas significativas de recolhimento dos equipamentos usados? Por outro lado, Sony e Sony Ericsson saem na frente mas não de goleada, confira o ranking da lista de “fabricantes de eletrônicos verdes” segundo a ONG Greenpeace.

Gráfico das empresas mais e menos responsáveis com o e-lixo.

O que podemos fazer para mudar isso?

Do meu ponto de vista acredito que o consumidor precisa exigir mais dos fabricantes de equipamentos. Não é raro você comprar um monitor de LCD novinho em folha e ele vir a dar problema com 3 meses de uso. Isso é fruto da estratégia dos fabricantes de equipamentos que querem empurrar sempre para nós o último modelo, mas que para isso precisam que o modelo antigo já não nos atenda mais. Isso é “tecnologia fake” não pagamos por algo mais moderno, pagamos por correções de bugs, ineficiência, projetos beta que são comercializados e pagamos e pagamos; mas quem toma o prejuízo é o planeta que no rumo que está pode tornar-se o cenário castrofóbico mostrado no filme do Walt Disney “Wall-e”. Também é preciso utilizar a consiciência para se libertar daquelas propagandas “obscenas” da Apple & CIA. Eu sei que é difícil, mas é algo que deve ser feito para que a indústria pare de nos vender produtos alpha, beta, delta… e qualquer tipo de produto “mal acabado” e que teve o Design concebido pela Prada ou algum figurão da Moda. Sei que isso é difícil, mas é um mau necessário, ou melhor, um bem necessários que fazemos para o planeta e para nossos bolsos. Sou otimista acredito que a indústria ainda vai repensar essa estratégia que elevou a “reprodutibilidade técnica” a enésima potência. Acredito que o Playstation 5 possa ser tão durável, parrudo e sustancioso como fora o ATARI. Não sou a Susan Boyle mas “I have a Dream”,….rs

Coloque em prática!

Encontrei os 10 mandamentos do usuário “verde” de tecnologia no site do G1, vejam abaixo:

10_mandamentos_lixo_eletrônico
1) Pesquise
É importante descobrir se o fabricante tem preocupações com o ambiente e se recolherá as peças usadas para reciclagem, depois que o aparelho perder sua utilidade. Esta lista do Greenpeaceclassifica as companhias, de acordo com iniciativas ligadas ao ambiente.2) Prolongue
Você não precisa trocar de celular todos os anos ou comprar um computador com essa mesma freqüência. Quanto mais eletrônicos adquirir, maior será a quantidade de lixo eletrônico. Por isso, cuide bem de seus produtos e aprenda a evitar os constantes apelos de troca.3) Doe
Caso seja realmente necessário comprar um novo eletrônico quando o seu ainda estiver funcionando, doe para alguém que vá usá-lo. Dessa forma, ainda é possível prolongar a vida útil do aparelho e a pessoa que recebê-lo não precisará comprar um novo.

4) Recicle
Os grandes fabricantes de eletrônicos oferecem programas de reciclagem. Antes de jogar aquele monitor estragado no lixo, entre em contato com a empresa (via internet ou central de atendimento telefônico) e pergunte onde as peças são coletadas. Muitas assistências também coletam esse material.

5) Substitua
Procure sempre fazer mais com menos. Produtos que agregam várias funções, como uma multifuncional, consomem menos energia do que cada aparelho usado separadamente. Também vale minimizar o uso de recursos ligados ao ambiente: para que imprimir, se dá para ler na tela?

6) Informe-se
O usuário de tecnologia deve ser adepto ao consumo responsável, sabendo as conseqüências que seus bens causam ao ambiente. Por isso, é importante estar atento ao assunto – somente assim será possível eliminar hábitos ruins e tomar atitudes que minimizem o impacto do lixo eletrônico.

7) Opte pelo original
As empresas que falsificam produtos não seguem políticas de preservação do ambiente ou se responsabilizam pelas peças comercializadas, depois que sua vida útil chega ao fim. Por isso, é sempre importante comprar eletrônicos originais.

8 ) Pague
Os produtos dos fabricantes que oferecem programas de preservação ambiental podem ser mais caros — isso porque parte dos gastos com essas iniciativas pode ser repassada para o consumidor. A diferença de preço não chega a níveis absurdos e por isso, vale a pena optar pela alternativa “verde”.

9) Economize energia
Na hora de comprar um eletrônico, opte pelo produto que consome menos energia. Além disso, o consumidor consciente deve usar fontes de energia limpa (como a solar) sempre que possível.

10) Mobilize
É importante passar informações sobre lixo eletrônico para frente, pois muitos usuários de tecnologia não se dão conta do tamanho do problema. Divulgue, mas evite aqueles discursos inflados e catastróficos dos “ecochatos”, que não são nada populares.

Fonte: G1, veja conteúdo clicando aqui.

Sempre é bom falar de temas que podem mudar o mundo, nós somos a geração da informação e devemos utilizar isso como vida e não apenas como Slogan. Eu mesmo resolvi colaborar com a frente de recolhimento de lixo eletônico, quem tiver um Playstation 2 ou Iphone modelo antigo eu aceito, rs.
Mas falando sério, para quem quer se desfazer de equipamentos eu sugiro que conheçam a lista FreeCyle de São Paulo, lá todo mundo doa tudo sem dó, se quer conferir inscreva-se SaoPauloFreecycle-subscribe@yahoogroups.com ou acesse o site. Até o próximo POST, e se tiver preguiça para acessar o Blog adicione ele em seu leitor de Feed RSS clicando aqui e se tiver preguiça para adicionar o FEED clica aqui que você receberá meus posts sempre por e-mail, até 😉
SaoPauloFreecycle-subscribe@yahoogroups.com

Diego Brito

Empreendedor, publicitário, palestrante e professor. Há 17 anos no mercado, fundador de diversas agências de marketing digital e propaganda, atualmente CEO na General Marketing.

Facebook Twitter LinkedIn  



2 Comments
  • Daniella
    19 de junho de 2009 at 9:21

    Muito legal esse post pois eu acho que esse assunto é pouco abordado. Realmente nós sempre vemos caixinhas para recolher pilhas, óleo e um monte de outras coisas, mas sabe que nenhum desses lugares faz uma ação a respeito disso e sabemos que uma ação isolada não trás resultado. Ainda estamos muito além da nossa capicidade de reciclar. Podemos reciclar lixo, mas não o fazemos, quanto mais o lixo eletrônico. Creio que esse é um problema maior nos países de primeiro mundo, porque lá eles jogam equipamentos eletrônicos a todo momento no lixo, aqui como ainda é sub-desenvolvido as pessoas tendem a vender os usados ou doar e isso diminui a quantidade de lixo eletrônico. Acho que poderia implementar esse post falando um pouco das ações desses países. Será que eles já se preocupam? Ou será como nós, que nem falamos a respeito?

    Responder
    • luiz pedro lourenço barbosa
      19 de março de 2016 at 19:19

      Muito boa esta postagem, irá me ajudar bastante em um seminário de Filosofia e que tem como tema:Tecnologia Sociedade de Consumo e suas Conseqüências, dai nos alunos teremos que escolher um tema livre dentro da mesma área e eu amei o tema e irei falar um pouco sobre ele e é claro debater em sala, meus parabéns…tchau!

      Responder

Leave a Reply to luiz pedro lourenço barbosa Cancel Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked with *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>